Peça agora o seu cartão também pelo telefone: 0800 729 2071

Alimentação 3 de agosto de 2020

Dicas importantes sobre dieta para lactantes e bebês

O mês de agosto tornou-se símbolo da promoção do aleitamento materno, no Brasil e no mundo. Durante o período, as ações de saúde se voltam para a conscientização da importância desse alimento para o desenvolvimento sadio dos bebês. O leite materno é a mais importante fonte de nutrição de uma criança recém-nascida em seus primeiros […]

O mês de agosto tornou-se símbolo da promoção do aleitamento materno, no Brasil e no mundo. Durante o período, as ações de saúde se voltam para a conscientização da importância desse alimento para o desenvolvimento sadio dos bebês.

O leite materno é a mais importante fonte de nutrição de uma criança recém-nascida em seus primeiros meses. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), até os seis meses o bebê deve se alimentar exclusivamente de leite materno. Depois disso, a dieta pode ser complementada com outros tipos de alimentos, como frutas, papinhas de legumes e sucos.

Porém, algumas mulheres produzem pouco leite, principalmente no início da amamentação. “É importante mencionar que existem alimentos que são conhecidos como as famosas receitas da vovó que não passam de mito, tais como: cerveja preta e canjica. O que realmente faz o leite aumentar é o bebê sugar o peito de maneira correta e uma alimentação saudável”, afirma Melyssa Guimarães, nutricionista da clínica AmorSaúde de Goiânia (GO), Noroeste.

 

Dieta indicada para lactantes

Existem alimentos que são essenciais para a manutenção e nutrição do organismo, que contém nutrientes necessários para a produção do leite ser cada vez mais satisfatória.

Segundo Melyssa, não se deve fazer nenhuma dieta para emagrecer no período de amamentação, pois a restrição alimentar atrapalha a qualidade do leite e o desenvolvimento do bebê. Para estimular o aleitamento materno e garantir uma boa nutrição para a mãe e a criança, a lactante deve:

  • Beber bastante líquido (água e sucos), de 2 a 3 litros por dia;
  • Consumir alimentos integrais e cereais (arroz, pão e macarrão integral, aveia e linhaça)
  • Ingerir frutas com casca ou bagaço, quando possível;
  • Consumir carnes e aves magras;
  • Comer peixes nas quantidades recomendadas pelo médico;
  • Consumir azeite nas saladas;
  • Moderar o consumo de café, chá mate, chá preto, refrigerantes e bebidas alcóolicas;
  • Não permanecer muitas horas sem se alimentar.

 

Alimentos que causam cólicas nos bebês

Outro assunto importante que deve ser observado são as cólicas ocasionadas no bebê que vem da imaturidade intestinal.

Muitas crianças apresentam alergia à proteína do leite de vaca e alimentos que causam flatulências (gases). “De modo geral, a mãe pode comer um pouco de tudo na amamentação, mas com equilíbrio. Porém, alguns alimentos são mais propensos a dar cólicas e gases nos bebês, como chocolate, feijão, brócolis, couve-flor e batata doce. É muito importante estar atenta ao tipo de alimento consumido no período da amamentação, pois esse pode influenciar diretamente na reação do bebê”, alerta a nutricionista.

É de suma importância procurar um profissional que possa auxiliar na alimentação e até mesmo na mudança de hábitos da mãe durante a amamentação. Um profissional especializado pode recomendar uma dieta personalizada, para cada tipo de necessidade. Se você precisa de nutricionista por um preço acessível (R$ 28), saiba aqui como o Cartão de TODOS pode ajudar você.

Cartão de TODOS

Redator

Olá! Como podemos ajudar?