Gravidez 19 de out, 2021

Posso engravidar? Entenda como funciona o período fértil feminino

Será que é possível engravidar durante o período fértil feminino? Conhecer o ciclo menstrual é um dos passos fundamentais para prevenir uma gravidez indesejada ou planejar a gestação. Afinal, o corpo da mulher passa por algumas alterações hormonais em um período de aproximadamente 28 dias. Isso sem mencionar que conhecer melhor o funcionamento do organismo […]

Será que é possível engravidar durante o período fértil feminino? Conhecer o ciclo menstrual é um dos passos fundamentais para prevenir uma gravidez indesejada ou planejar a gestação. Afinal, o corpo da mulher passa por algumas alterações hormonais em um período de aproximadamente 28 dias.

Isso sem mencionar que conhecer melhor o funcionamento do organismo é ótimo para ter hábitos mais saudáveis e cuidar melhor do próprio corpo. É por isso que trago este guia repleto de informações interessantes sobre como funciona o período fértil feminino.

Quer saber mais curiosidades sobre o ciclo menstrual, período fértil e chances de engravidar nessa fase? Então, acompanhe o post e fique por dentro do assunto!

Quais são as fases do ciclo menstrual?

Para começar, é preciso saber que o ciclo menstrual é composto por 4 etapas: menstruação, fase folicular, ovulação e fase lútea. Todo esse processo tem duração de, em média, 28 dias, podendo variar entre 21 e 35 dias.

Cada fase que compõe o ciclo menstrual apresenta algumas particularidades e efeitos que visam preparar o corpo para uma gravidez. É por isso que é importante conhecê-las para planejar ou prevenir uma gestação.

A seguir, conheça mais sobre as 4 fases do ciclo menstrual!

Menstruação

Todo ciclo menstrual começa com a menstruação. Ela surge na pré-adolescência, entre os 10 e 14 anos e só acaba definitivamente na fase da menopausa, por volta dos 50 anos. Sua duração varia de 3 a 5 dias, podendo se alterar na presença de problemas hormonais, uso de anticoncepcionais, gravidez, entre outros fatores.

Basicamente, a menstruação é o sangue que parte da descamação do endométrio — um dos componentes mais internos do útero. Isso só acontece após o processo de ovulação, quando nenhum óvulo foi fecundado.

Afinal, o endométrio é importante para a gravidez, pois é a camada que protege e auxilia no desenvolvimento do embrião, no caso de haver a fecundação entre o espermatozoide e o óvulo. Desse modo, a sua descamação ocorre periodicamente quando ele não é necessário para essa função.

Fase folicular

Você já reparou na cor do sangue da menstruação? Ela costuma variar de acordo com o ciclo e com o organismo de cada pessoa. Contudo, no geral, a coloração é vermelha para fluxos normais, rosa para os mais fracos e escarlate para os mais intensos ou quando a mulher faz uso de contraceptivos hormonais.

Além disso, o sangue pode assumir uma tonalidade vermelha-escura ou marrom, que é quando, geralmente, acontece a fase folicular: logo no fim da menstruação, entre o 5° e o 13° dia normalmente. Essa é a parte do ciclo na qual o corpo se prepara para uma nova possibilidade de gravidez.

Desse modo, o endométrio vai se formar novamente e os folículos, que dão o nome dessa fase, voltam a crescer nos ovários. Durante essa etapa, existem alguns sinais que o corpo produz e que facilitam a identificação.

Um deles é a produção de uma secreção chamada fluido cervical. Se você pensa que todo corrimento que sai do sistema reprodutor feminino é sinal de doença, saiba que não é bem assim. Alguns deles são totalmente naturais e apontam que o organismo está funcionando corretamente.

O fluido cervical tem a função de aumentar o tempo que os espermatozoides permanecem vivos no sistema reprodutivo da mulher, que pode ser de até 5 dias. É possível notar que o ciclo atingiu essa fase quando há uma secreção de coloração opaca, com tons leves de bege e consistência pegajosa. Ao longo dessa etapa, ela se torna mais cremosa e assume uma cor mais transparente, semelhante à clara de ovo.

Ovulação

Quanto mais úmido estiver o fluido cervical, maiores os indícios de que a fase da ovulação está começando. Geralmente, ela se inicia na metade do ciclo menstrual, aproximadamente no 14° dia, variando até 2 dias.

Durante a ovulação, o folículo que teve o maior crescimento na fase folicular libera um óvulo para um dos ovários e, em seguida, para a tuba uterina. É ele que será um dos protagonistas na gravidez, caso haja a fecundação.

É por isso que essa é a fase mais importante para uma gestação. Nessa etapa, se houver a união entre o óvulo e o espermatozoide, é possível gerar um embrião, que será encaminhado para o útero e fixado no endométrio no período de até uma semana.

Caso não haja a ovulação, em cerca de 14 dias haverá o início de outro ciclo menstrual, com a descamação do endométrio e a menstruação. Se a mulher fizer uso de um método contraceptivo hormonal, essa fase geralmente não ocorre.

Fase lútea

Por fim, há a fase lútea que dura até o último dia do ciclo menstrual. Lembra do folículo que liberou o óvulo para um dos ovários? Depois desse ato, ele se transforma em um corpo lúteo.

A partir disso, ele se torna fundamental na secreção de hormônios importantes para informar o organismo de que a ovulação já está ocorrendo. Isso impede que novos folículos comecem a crescer dentro desse mesmo ciclo.

Outra função desempenhada pelo corpo lúteo é a de enviar sinais para que o endométrio se torne mais espesso. Essa é uma parte importante para a sobrevivência do embrião e desenvolvimento do feto, caso haja a fecundação.

Quando não ocorre a fecundação, esse corpo lúteo vai se dissolver até o fim do ciclo, e o útero dará início ao processo de descamação do endométrio, iniciando uma nova menstruação. No entanto, se houve o encontro do óvulo com o espermatozoide, a estrutura é preservada para dar sequência às próximas fases da gestação.

É nessa fase que ocorre também a Tensão Pré-Menstrual (TPM). Algumas pessoas sentem sintomas mais intensos, enquanto outras mal se dão conta dos efeitos das flutuações hormonais. Instabilidade emocional, acne, mudanças no apetite, dificuldade de concentração, retenção de líquido, problemas de sono e aumento do estresse são alguns sinais comuns.

Quando acontece o período fértil feminino?

O período fértil feminino nada mais é do que a fase em que a mulher apresenta mais chances de engravidar, caso haja o contato do espermatozoide diretamente com o sistema reprodutor.

Como visto, a ovulação se inicia na metade do ciclo menstrual. É nesse momento que o período fértil está acontecendo, aproximadamente entre as 2ª e 3ª fases. Durante esses dias, ocorre também um aumento dos níveis de estrogênio, um importante hormônio sexual feminino.

Desse modo, o período fértil geralmente começa a partir do 5° dia antes da ovulação e se encerra cerca de 3 dias depois; e a menstruação é uma maneira de saber se o óvulo foi fecundado ou não. No entanto, é preciso atentar ao fato de que nem todas as mulheres apresentam ciclos menstruais regulares. Sendo assim, nem sempre as datas estão de acordo com o padrão.

Período fértil ou ovulação: quais são as diferenças?

Para saber as diferenças entre período fértil e ovulação, é preciso ter em mente que o período fértil faz parte da ovulação, embora ele não seja restrito a ela. Como visto, a 3ª fase do ciclo prepara o corpo para uma possível gravidez e, assim, propicia a fertilidade.

No entanto, as chances de engravidar não aumentam exatamente no primeiro dia de ovulação. Afinal, essa característica diz respeito ao período fértil, que se inicia aproximadamente 5 dias antes da 3ª fase do ciclo menstrual.

Não conseguiu entender muito bem? Vou explicar melhor! Lembra que durante a fase folicular o corpo começa a produzir o fluido cervical? Ele serve para aumentar a vida do espermatozoide dentro do sistema reprodutor feminino, podendo sobreviver a até 5 dias.

Se o espermatozoide estiver presente no corpo da mulher durante a fase de ovulação, então ele pode encontrar um óvulo e ser fecundado. Por isso, o período fértil começa alguns dias antes da 3ª fase e termina logo nos primeiros dias subsequentes.

Vale ressaltar que o período fértil indica que a mulher tem mais chances de engravidar. Contudo, isso não significa que ela apenas pode começar uma gestação nesse período. Essa informação é importante, principalmente para fazer uma prevenção mais eficaz.

Quais são os sinais do período fértil no corpo?

O período fértil não apresenta um sintoma específico. No entanto, existem alguns sinais que permitem presumir se essa etapa já começou. O fluido cervical, de início, apresenta uma cor próxima ao bege-claro. Conforme o ciclo evolui, essa secreção assume tons mais claros até que o muco vaginal se torne transparente, com espessura e consistência semelhantes às de uma clara de ovo.

Observar os sinais dos primeiros dias da ovulação também diz se você está no período fértil e se as chances de engravidar com relações sexuais sem proteção são mais altas. Por exemplo, na 3ª fase do ciclo menstrual, é comum que a temperatura corporal de base aumente aproximadamente 0,3 °C.

Algumas mulheres também apresentam um leve desconforto na região do baixo-ventre, semelhante às cólicas. Além disso, o aumento da sensibilidade nas mamas e o inchaço costumam ser relatados nesse período.

Existem algumas mudanças comportamentais que aparecem durante a ovulação por conta da alteração dos níveis hormonais, que também podem indicar que o período fértil está acontecendo. Nessa época, é bem comum haver um aumento do desejo sexual, do bem-estar e da autoconfiança.

Como calcular o período fértil?

Primeiramente, é preciso ter em mente que não existe uma data exata para dizer quando começa e quando termina o período fértil de uma mulher. Isso vale até mesmo para quem tem um ciclo menstrual regular, tendo em vista que ele pode variar alguns dias a cada mês. Para ter uma noção mais precisa, é necessário fazer testes de fertilidade — muito indicados para as pessoas que estão tentando engravidar.

No entanto, é possível se basear de acordo com o primeiro dia da menstruação, quando ela apresenta uma certa regularidade. Tendo em vista que a ovulação acontece aproximadamente 14 dias depois do início da descamação do endométrio, o período fértil pode ter início no 9° e fim no 19° dia do ciclo, embora esses números não sejam tão precisos sempre.

Posso confiar no método do calendário?

Muitas pessoas utilizam o calendário, também conhecido como tabelinha, para acompanhar o ciclo menstrual. Apesar de ser de grande ajuda, ele não é 100% eficaz para a prevenção da gravidez ou para o planejamento. Entretanto, é possível fazer uma análise comparando o período fértil com os ciclos anteriores.

Se o intuito de uma pessoa é engravidar, vale a pena consultar um ginecologista para verificar como está a saúde do sistema reprodutivo e se não há nenhuma contraindicação. A partir disso, é possível retirar o uso de um método contraceptivo, caso haja, e planejar relações sexuais durante os dias em que o calendário aponta que possivelmente ocorrerá o período fértil.

Já se o objetivo de conhecer o período fértil é evitar a gravidez, é importante apostar no uso de métodos contraceptivos associados ao acompanhamento do calendário.

Afinal, tanto a técnica do calendário como outras alternativas — coito interrompido, Método de Ovulação Billings e medição da temperatura — não são totalmente confiáveis para impedir uma gestação. Vale ressaltar que esses métodos também não evitam a contração de doenças transmitidas por meio das relações sexuais.

Desse modo, o que fazer para se proteger adequadamente? A seguir, confira alguns métodos eficientes!

Camisinha

O preservativo é um dos contraceptivos mais comuns. Existem modelos femininos e masculinos que devem ser utilizados apenas uma vez a cada relação sexual. Além de prevenir a gravidez, esse método é fundamental para evitar Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs).

Uma das vantagens do preservativo é que ele é acessível e pode ser encontrado gratuitamente em instituições de saúde. No entanto, pessoas que têm alergia ao látex devem evitar o uso.

Além disso, é importante observar se o preservativo não rasgou durante a relação sexual. Caso isso ocorra, é fundamental utilizar o mais rápido possível outro método contraceptivo, como a pílula do dia seguinte, assim como procurar um ginecologista (para as mulheres) ou um urologista (no caso dos homens) para realizar exames e se certificar de que não contraiu nenhuma IST.

Pílula anticoncepcional

A pílula anticoncepcional é um medicamento oral que apresenta hormônios femininos sintéticos, como a progesterona e o estrogênio, e impede que a ovulação ocorra. Ela também ajuda a regular ou interromper a menstruação, controlar sintomas de TPM e reduzir problemas de acne adulta.

Contudo, é imprescindível que o uso desse contraceptivo seja feito após avaliação médica e com acompanhamento regular no ginecologista. Assim, é possível encontrar o medicamento mais adequado para o seu ciclo e diminuir o risco de efeitos colaterais severos.

É importante ainda evitar relações sexuais sem preservativos, mesmo com a pílula anticoncepcional. O ideal é deixar de usar a camisinha apenas quando há um parceiro sexual fixo e ambos estão livres de ISTs.

DIU

O Dispositivo Intrauterino (DIU) é introduzido no útero, em um procedimento realizado por um ginecologista. A vantagem desse método é que a sua duração é de até 5 anos e não há o risco de se esquecer de usar, como no caso da pílula anticoncepcional e do preservativo.

No entanto, ainda assim, é importante o uso da camisinha durante as relações sexuais, pois, da mesma forma que a pílula, o DIU não é capaz de prevenir as ISTs. Além disso, é fundamental fazer exames, como o Papanicolau, para saber se não há riscos de utilizar o dispositivo.

Injeção

Esse é outro contraceptivo hormonal, feito por meio da injeção periódica de hormônios que também inibem a ovulação. Esse método pode ser aplicado com um intervalo de até 3 meses, dependendo do medicamento utilizado e do organismo da pessoa. Tudo isso vai ser definido com exames médicos e consultas ao ginecologista.

Essa é uma alternativa para pessoas que têm algum impedimento do uso da pílula anticoncepcional, como mulheres que fazem uso de medicamentos que cortam o efeito do contraceptivo oral.

Além disso, é uma opção para quem tem medo de esquecer de tomar a pílula regularmente. Assim como a maioria dos contraceptivos anteriores, a injeção não previne ISTs. Por conta disso, o seu uso é recomendado junto do preservativo.

Quais são as chances de engravidar no período fértil?

O período fértil é a fase em que as chances de engravidar aumentam, principalmente se a relação sexual desprotegida ocorrer cerca de 1 ou 2 dias antes do início da ovulação.

Entretanto, para saber exatamente as chances de engravidar no período fértil, é necessário passar por exames de avaliação de fertilidade do casal. Além do mais, vale ressaltar que a possibilidade de ter um filho cai a partir dos 35 anos.

Isso tem uma explicação. Uma mulher geralmente nasce com cerca de 2 milhões de óvulos, e eles não são mais produzidos ao longo de sua vida. Conforme a ovulação ocorre, a partir do primeiro ciclo menstrual, esse estoque vai diminuindo.

Desse modo, aos 35 anos, a quantidade de óvulos disponíveis para a ovulação já não é mais a mesma que uma mulher tinha aos 20 anos, por exemplo. Por conta disso, as chances de engravidar após essa idade diminuem, embora não sejam nulas até o período da menopausa.

Como o anticoncepcional afeta o período fértil?

Como visto, o anticoncepcional traz interferências no período fértil. Isso ocorre principalmente pelo fato de que esse tipo de medicamento faz com que muitos padrões do sistema reprodutor feminino se alterem.

Um exemplo é a inibição da ovulação. Como a pílula anticoncepcional foca em manter os níveis de progesterona e estrogênio regulares, não existe aquela alteração hormonal que faz com que as fases folicular e ovulatória atinjam a sua função.

Por agir justamente nas fases em que o período fértil surge, a pílula anticoncepcional também o inibe, diminuindo consideravelmente as chances de engravidar, mesmo quando acontecem relações sexuais desprotegidas.

No entanto, para que a pílula anticoncepcional atinja esse nível de eficácia, é preciso tomar alguns cuidados. Confira mais, a seguir!

Fazer uso da pílula nos mesmos horários

O medicamento precisa ser tomado em todos os dias indicados em cada cartela e no mesmo horário. É essa regularidade que mantém os níveis hormonais na quantidade ideal para inibir a formação dos folículos e óvulos.

Evitar associar a pílula com alguns medicamentos

Existem alguns tipos de medicamentos que podem cortar o efeito da pílula anticoncepcional. Anticonvulsivantes, imunossupressores (fármacos para controlar a imunidade, geralmente indicados para doenças autoimunes) e até mesmo a pílula do dia seguinte podem interferir na eficácia desse método contraceptivo.

Manter a saúde do sistema gastrointestinal

Vomitar ou ter diarreia cerca de 4 horas depois de utilizar a pílula também interfere no efeito e pode provocar a ovulação. Afinal, isso pode fazer com que o medicamento seja excretado antes de ser absorvido pelo organismo.

Pessoas que têm síndrome do intestino irritável, por exemplo, precisam ter uma atenção maior ao uso da pílula. Em caso de vômito ou diarreia, o indicado é evitar relações sexuais sem proteção nos próximos dias, a fim de evitar a gravidez.

É possível engravidar depois da menstruação?

O período fértil ocorre antes da descamação do endométrio. Desse modo, a menstruação é um grande indicador de que o fim do ciclo anterior aconteceu sem que o óvulo tenha sido fecundado e, consequentemente, sem que a mulher esteja grávida. Mas será que é possível engravidar logo após o início do novo ciclo?

A resposta é: sim. É importante ter em mente que é possível engravidar em qualquer fase do ciclo, embora seja mais improvável. Isso ocorre porque o organismo nem sempre segue os padrões e pode apresentar irregularidades.

Por conta disso, se o seu objetivo é prevenir a gravidez, é imprescindível manter o uso de um ou mais métodos contraceptivos em todas as relações sexuais. Afinal, apesar de serem raros os casos em que ocorre a fecundação fora do período, ainda é possível.

Lembre-se também de que não é possível definir o período fértil com precisão sem que sejam feitos exames apropriados. Dessa maneira, mesmo que o seu ciclo seja regular e que você esteja acompanhando o calendário, não é possível confiar totalmente nisso sem que haja o uso de métodos contraceptivos.

Conseguiu entender a importância de conhecer melhor o ciclo menstrual e o período fértil feminino? Isso é útil tanto para quem está planejando uma gestação quanto para quem quer reduzir as chances de gravidez. Portanto, busque sempre conhecer mais sobre o funcionamento do seu corpo e manter a saúde em dia.

Gostou das informações deste post? Então, faça com que mais pessoas conheçam essas curiosidades. Compartilhe o artigo com os seus amigos nas redes sociais!

Cartão de TODOS

Redator

Cartão de TODOS e os cookies: a gente usa cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Olá! Como podemos ajudar?