Peça agora o seu cartão também pelo telefone: 0800 729 2071

Sem categoria 3 de agosto de 2021

Sentindo dor no nervo ciático? Veja quais são as causas e o tratamento

Às vezes, por mais regrada que esteja a rotina, nosso corpo envia sinais de que algo anda mal. É o caso das pessoas que, mesmo seguindo uma alimentação saudável e praticando exercícios físicos, começam a sentir desconforto nos membros inferiores. Um desses sintomas pode ser a dor no nervo ciático. Se você já lidou com […]

Às vezes, por mais regrada que esteja a rotina, nosso corpo envia sinais de que algo anda mal. É o caso das pessoas que, mesmo seguindo uma alimentação saudável e praticando exercícios físicos, começam a sentir desconforto nos membros inferiores. Um desses sintomas pode ser a dor no nervo ciático.

Se você já lidou com o problema, sabe muito bem como ele prejudica a rotina em casa e no trabalho. Afinal, gera uma constante sensação desagradável, que faz com que tarefas simples fiquem mais difíceis de cumprir. Mas será que há uma única causa para essa enfermidade?

É o que você vai descobrir agora. Continue a leitura porque vou responder às principais dúvidas sobre o assunto!

O que é o nervo ciático?

Também chamado de isquiático, é o maior nervo do corpo humano. Sua localização vai da região lombar até os dedões do pé, já que é responsável pelas articulações dos membros inferiores. Isso engloba quadril, posteriores de coxa, joelhos e tornozelos.

Por ser uma estrutura que percorre ambas as pernas, é normal que o desconforto surja em diferentes pontos, como o glúteo ou a panturrilha. E quando o problema afeta a porção presente na região da lombar, o paciente pode até confundir o quadro com pedra nos rins.

A dor no nervo ciático surge se houver inflamação, lesão ou compressão desse tecido. É uma condição bem incômoda e constante, que pode limitar movimentos e gerar sofrimento. Quem passa por isso sente muita sensibilidade nas pernas e encontra dificuldade para sentar, andar e até deitar.

Quais são os principais sintomas?

A quantidade e a intensidade dos sintomas variam bastante. Tudo vai depender do tipo de dano e do local afetado, já que o nervo ciático se estende por toda a perna. As principais queixas estão relacionadas à dor no glúteo e à dor nas costas, acompanhadas das seguintes sensações:

  • desconforto persistente e intenso nos membros inferiores;
  • formigamento, dormência ou fraqueza dos músculos da região;
  • percepção semelhante a agulhadas ou queimação na área atingida;
  • perda de sensibilidade e dos reflexos na parte dolorida;
  • dificuldade para manter a coluna ereta;
  • dores exponenciais quando a pessoa está deitada e levanta uma das pernas.

Quais são as causas de dor no nervo ciático?

O problema, como dito, pode surgir quando há compressão, lesão ou inflamação da estrutura que passa pelos membros inferiores. Portanto, ele não representa uma doença em si, mas um sintoma de possíveis danos gerados ao nervo ciático. Os fatores de risco incluem:

  • sobrepeso;
  • sedentarismo;
  • hérnia de disco;
  • má postura;
  • levantamento de peso;
  • idade avançada;
  • trauma na lombar ou nos glúteos;
  • fratura ou lesão na região pélvica;
  • lombalgia;
  • estenose espinhal;
  • diabetes;
  • tumores.

Você percebe que a dor no nervo ciático tem várias causas. Assim, pode atingir desde pessoas que têm hérnia de disco lombar até praticantes de musculação, por exemplo. Nesse segundo grupo, o aumento do tônus e da firmeza do glúteo já é suficiente para aumentar o risco de desconforto.

Isso porque, com a tensão e contratura dos músculos do bumbum, o nervo que passa pela região pode ficar pressionado e enviar sinais em forma de choque, dormência ou formigamento. É um quadro bem comum entre mulheres e tem até um nome específico: síndrome do piriforme.

O mesmo vale para atletas e praticantes de outras modalidades esportivas, como ciclismo e corrida. Esses indivíduos enfrentam situações que podem levar à fadiga dos músculos e até a lesões que afetam o nervo ciático. Ou seja, nem as pessoas mais ativas estão livres de passar pelo problema.

Como aliviar o desconforto na região afetada?

O tratamento vai depender do nível de dor e do tipo de dano causado ao nervo ciático. O primeiro passo é tentar identificar o foco do desconforto, para saber se ele atinge apenas parte da estrutura ou uma área mais extensa.

Também é importante diferenciar o quadro de problemas isolados, geralmente causados por mau jeito ao dormir ou sentar. Se há fraqueza acompanhada de fisgadas em uma ou as duas pernas, com piora após muito tempo na mesma posição, é provável que você esteja com dor no nervo ciático.

E o que fazer para amenizar ou eliminar o desconforto? Felizmente, existem várias práticas benéficas para você adotar quando sofrer com o problema. A maioria é tão simples que pode ser aplicada em casa, durante viagens e até no local de trabalho. Veja agora as mais eficazes:

  • alongar os membros inferiores — exercícios leves para os glúteos, coxas, lombar e panturrilhas são ótimos aliados para promover o relaxamento da musculatura, diminuindo a pressão sobre o nervo;
  • massagear a região dolorida — movimentos de aperta e solta na parte afetada, quando não geram piora da dor, também podem reduzir a compressão que causa desconforto;
  • colocar uma compressa quente — aplicação de calor com toalhas aquecidas ou bolsas térmicas promove alívio imediato da dor, além de liberar endorfinas que colaboram para o bem-estar;
  • usar medicamento — pomadas ou comprimidos anti-inflamatórios são eficazes para diminuir o desconforto, mas evite tomar remédios sem prescrição médica.

A manutenção da boa postura em diferentes atividades é um dos principais cuidados para aliviar a dor no nervo ciático, especialmente durante uma crise. Assim, evite dormir com a coluna desalinhada, procure sentar sempre com as costas eretas e nunca se abaixe sem dobrar os joelhos.

O que fazer em caso de dor extrema?

Cada pessoa tem seus próprios limites para suportar o desconforto. Por isso, se a dor está provocando muito sofrimento e gerando quadros de estresse, a melhor saída é buscar apoio especializado. Massagistas e fisioterapeutas são os profissionais mais adequados para manipular a musculatura e orientar sobre os alongamentos.

Também é crucial consultar um médico para realizar exames e outros procedimentos. O objetivo é descobrir se o dano ao nervo ciático tem origem em um problema mais grave ou está relacionado a alterações na coluna vertebral. Nesses casos, o tratamento envolverá práticas específicas para diferentes enfermidades.

Em momentos de angústia, a boa qualidade do atendimento em saúde faz a diferença para transmitir calma e segurança ao paciente. Com o Cartão de TODOS, você desfruta desse diferencial em qualquer situação, além de contar com descontos para fazer suas consultas sempre que precisar de cuidado médico.

Gostou de aprender sobre as causas e as formas de amenizar a dor no nervo ciático? Mais que informação, você acaba de obter um contato de confiança para resolver ou prevenir problemas de saúde. Lembre-se de que apoio especializado é essencial para conduzir os tratamentos até o fim.

Compartilhe o post nas redes sociais para ajudar outras pessoas que possam estar sofrendo com o mesmo problema!

Cartão de TODOS

Redator

Olá! Como podemos ajudar?