Peça agora o seu cartão também pelo telefone: 0800 729 2071

Sem categoria 27 de agosto de 2021

Quando procurar um cardiologista? Saiba qual é o momento ideal para fazer consultas

Você sabe quando procurar um cardiologista? Encontrar o momento ideal para fazer consultas médicas é difícil para muitas pessoas, principalmente aquelas que não apresentam nenhum sintoma suspeito. Muitas doenças podem ser silenciosas ou demorar para apresentar sinais. Por esse motivo, vale ressaltar a importância de procurar um médico, pelo menos, uma vez por ano, a […]

Você sabe quando procurar um cardiologista? Encontrar o momento ideal para fazer consultas médicas é difícil para muitas pessoas, principalmente aquelas que não apresentam nenhum sintoma suspeito.

Muitas doenças podem ser silenciosas ou demorar para apresentar sinais. Por esse motivo, vale ressaltar a importância de procurar um médico, pelo menos, uma vez por ano, a fim de realizar o check-up e identificar possíveis problemas.

Pessoas que apresentam histórico familiar de doenças cardíacas, estão em tratamento de alguma patologia ou que têm sintomas devem fazer consultas médicas com um menor intervalo de tempo, a depender das recomendações dos profissionais.

Para ajudar você a entender a importância de cuidar da saúde do seu coração e identificar a hora certa de ir ao cardiologista, montei este guia repleto de informações sobre esse órgão essencial para a vida humana. Acompanhe e tire todas as suas dúvidas!

Quais são as doenças mais comuns do coração?

O coração é um órgão vital, com papel essencial na distribuição de sangue para todo o corpo. Por mais que seja do tamanho do punho de sua mão e pese cerca de 300 gramas, sem ele, todo o seu organismo não conseguiria se manter estável.

É por isso que é fundamental se preocupar com a saúde do coração. Diversas doenças graves podem acometer o órgão e trazer sérios problemas no bem-estar, comprometendo a qualidade de vida e reduzindo a longevidade.

Algumas delas são mais populares, e provavelmente você já ouviu falar. Outras, no entanto, são menos conhecidas pelas pessoas, mas podem ser muito sérias. Além disso, existem várias patologias que afetam outras áreas do corpo, mas interferem também no funcionamento do coração.

Tem interesse em saber mais sobre essas doenças? Então, confira as principais patologias que podem ocorrer no coração!

Infarto

O infarto é uma das doenças mais comuns do coração e tem um alto nível de fatalidade. Esse problema ocorre quando o fluxo de sangue de uma artéria é bloqueado ou interrompido por um determinado período.

Problemas como o infarto precisam ser rapidamente diagnosticados e tratados, pois oferecem um alto risco para a saúde de uma pessoa. Por isso, ao notar a presença dos sintomas dessa doença em outro indivíduo, é preciso levá-lo ao médico quanto antes. Caso isso ocorra com você, peça socorro imediatamente.

Causa

A interrupção do fluxo sanguíneo faz com que ocorra um ataque cardíaco, trazendo danos para o tecido do coração. Quando acontece no sistema cardiovascular, o infarto é capaz de afetar o miocárdio, nome dado ao músculo cardíaco, podendo, até mesmo, provocar a morte dessas células.

Na maioria dos casos, o infarto é causado por uma placa de gordura ou pela formação de um coágulo em uma das artérias ligadas ao coração. É esse obstáculo que impede o livre percurso do sangue, causando o ataque cardíaco.

Desse modo, fatores como o colesterol alto, tabagismo, alcoolismo e obesidade podem aumentar as chances de desenvolver um infarto. Doenças como a aterosclerose, que afeta as paredes dos vasos sanguíneos, a hipertensão, assim como a herança genética, também aumentam a propensão de sofrer com essa doença.

Sintomas

Felizmente, o infarto não é um problema silencioso, o que facilita o diagnóstico. No entanto, ele pode ser provocado repentinamente, tornando essencial que o paciente seja levado ao hospital o mais rápido possível, ao apresentar os seguintes sinais:

  • dor no braço esquerdo que irradia para o pescoço e o rosto;
  • sensação de aperto ou dor no peito, tanto leve quanto aguda;
  • queimação semelhante à azia;
  • palpitações;
  • sudorese;
  • tontura.

Tratamento

O tratamento do infarto se dá com a desobstrução da artéria que provocou o ataque cardíaco. Isso pode ocorrer de forma mecânica, com o uso de equipamentos especiais, como o cateter e o stent, ou química, por meio de medicamentos específicos para dissolver o coágulo ou a placa de gordura.

Angina

Angina é o nome dado à condição que causa uma dor intensa na região do peito, principalmente nos momentos em que a pessoa passa por uma forte emoção ou precisa realizar um esforço físico. Essa doença também é grave e precisa de muita atenção, pois pode evoluir para o infarto.

Causas

Um dos principais causadores da angina é o acúmulo de placas de gordura ou outras substâncias nas artérias e vasos sanguíneos, problema chamado de aterosclerose. Isso é uma consequência de maus hábitos de saúde ou de herança genética.

O sedentarismo é um dos principais fatores que contribuem para o desenvolvimento da angina. A ausência de exercícios físicos associada a uma alimentação desequilibrada contribuem para o surgimento de doenças crônicas, como o aumento do colesterol, diabetes, obesidade, anemia, entre outras. 

Sintomas

A angina causa dor e desconforto no peito, com duração superior a 20 minutos. Essa sensação pode irradiar para as áreas em volta, como o pescoço e o estômago, causando também enjoos. Além disso, o aumento da produção de suor, principalmente frio, e uma maior dificuldade para respirar são sinais dessa doença.

Tratamento

Quando a angina é diagnosticada, o paciente recebe um conjunto de medicamentos que ajudam a dilatar a artéria e a diminuir o coágulo formado. Em alguns casos, também é utilizada a intervenção mecânica, com o cateter e o stent.

A boa notícia é que a angina é uma doença que tem cura. Para isso, é fundamental a adoção de hábitos saudáveis e de repouso. Aderir a práticas que ajudam a combater o estresse também é fundamental para prosseguir com o tratamento.

Arritmia

A arritmia é outra condição que você já deve ter ouvido falar, não é mesmo? Esse é o nome dado quando os batimentos cardíacos não seguem um mesmo ritmo, podendo ser mais rápidos, mais lentos ou descompassados.

Esse problema, quando é maligno, costuma se intensificar na realização de esforços físicos ou na situação de estresse. Quanto mais cedo a arritmia é diagnosticada, maiores as chances de cura e menores as complicações.

Causas

Existem diversos fatores que podem contribuir para o surgimento da arritmia. Dentre eles, é possível citar:

  • aterosclerose;
  • problemas nas válvulas cardíacas;
  • hipotireoidismo;
  • condições desenvolvidas desde o nascimento, como a doença cardíaca congênita;
  • excesso de estresse;
  • transtornos de ansiedade;
  • anemia.

Sintomas

A arritmia pode ser percebida, principalmente, por meio da alteração dos batimentos cardíacos. No entanto, a doença pode apresentar outros sinais clássicos, como tontura, cansaço excessivo, dificuldade para respirar, dor no peito e, em casos graves, desmaios.

A doença também aumenta a sensação de mal-estar e de fraqueza no dia a dia. Por isso, pode afetar o desempenho de uma pessoa no trabalho, nos estudos e nas demais tarefas do cotidiano.

Tratamento

O tratamento indicado para a arritmia, a princípio, será voltado para a investigação e correção dos problemas que provocaram essa condição. Desse modo, dependendo do caso, pode ser necessário o uso de medicamentos para regular os batimentos cardíacos ou para desobstruir os vasos sanguíneos que ficaram prejudicados.

Há também alguns quadros em que são necessárias intervenções cirúrgicas ou a implantação de dispositivos, como o marcapasso ou o cardiodesfibrilador. Em todos os casos, o acompanhamento médico e uma rotina saudável são indispensáveis.

Hipertensão

A hipertensão certamente é outra doença do coração que você já ouviu falar, provavelmente com o nome de pressão alta. Esse é um grave problema que afeta muitas pessoas, chegando a atingir cerca de 30% da população brasileira.

Outro dos fatores mais agravantes dessa situação é que a hipertensão, na maioria dos casos, surge de maneira silenciosa. Desse modo, quando não há sintomas característicos, o diagnóstico pode ser tardio e mais complicações podem surgir.

Basicamente, a hipertensão arterial é o estado em que a pressão interna dos vasos sanguíneos atinge valores que ultrapassam o padrão. Isso faz com que o sangue tenha mais dificuldade de fluir.

Quando não é tratado, esse quadro pode evoluir para doenças ainda mais severas, como o Acidente Vascular Cerebral (AVC), também conhecido como derrame cerebral, novos problemas cardiovasculares e complicações renais.

Causas

Assim como a maioria das doenças cardíacas, as causas principais para a hipertensão são a influência genética e os maus hábitos de saúde. Uma alimentação que conta com alimentos de alto teor de sódio e gordura, por exemplo, faz com que a pressão arterial se eleve.

O consumo frequente de bebidas alcoólicas e o uso de cigarro também são fatores que aumentam a pressão arterial. Ao mesmo tempo, o sedentarismo e o sobrepeso contribuem para o desenvolvimento de hipertensão.

Sintomas

A hipertensão pode demorar para apresentar sinais. No geral, quando isso ocorre, é comum o surgimento de sintomas como:

  • zumbido no ouvido;
  • dores fortes de cabeça;
  • sensação de pressão ou dor no peito;
  • fraqueza e mal-estar;
  • tontura;
  • alterações na visão;
  • sangramento nasal.

Tratamento

É fundamental ressaltar que a hipertensão não tem cura. Por isso, é importante prevenir o surgimento dessa doença, pois pode se tornar crônica. No entanto, é possível tratá-la.

Na maioria dos casos, o tratamento consiste no uso de medicamentos para dilatar os vasos sanguíneos e reduzir a pressão interna. Além disso, novos hábitos de saúde são fundamentais, como parar de fumar, praticar exercícios físicos regularmente, manter uma dieta equilibrada e evitar o consumo de álcool.

Quais são os sinais mais comuns de doenças cardíacas?

Algumas doenças cardíacas são silenciosas, mas outras apresentam alguns sintomas em comum. Esses sinais, quando percebidos, precisam de uma atenção redobrada e devem ser relatados ao procurar um cardiologista, para facilitar um diagnóstico mais preciso.

Além disso, é importante mencionar que um dos fatores de risco mais comuns para o surgimento de doenças cardíacas, como visto, é a herança genética, ou seja, quando um familiar próximo, como pais e avôs, também apresenta esse mesmo problema. Desse modo, se esse é o seu caso, é fundamental manter os cuidados com a saúde.

Atualmente, sabe-se também que a Covid-19, causada pelo coronavírus, também pode deixar sequelas no sistema cardiovascular. Por esse motivo, pessoas que tiveram essa doença, mesmo os casos leves e assintomáticos, precisam passar por um check-up médico para avaliar se não houve nenhuma consequência desse problema.

O avanço da idade também contribui para o aumento da predisposição a doenças cardíacas. Por esse motivo, pessoas acima de 60 anos são orientadas a ter consultas e exames de rotina com uma maior frequência.

Em todos os casos, alguns sintomas fazem com que seja necessária uma maior atenção à saúde do coração. A seguir, confira alguns desses sinais!

Doenças crônicas

Como visto, a maior parte das doenças do coração está associada a problemas crônicos, como diabetes tipo 2, colesterol alto, aumento da pressão arterial, sedentarismo e obesidade.

É por isso que pessoas que apresentam doenças crônicas precisam ser observadas com mais atenção e realizar um acompanhamento médico para evitar o surgimento de complicações no sistema cardiovascular.

Dor no peito

Quando há alguma complicação no músculo ou em outras estruturas do coração, é comum que haja dor no peito. Desse modo, nenhum desconforto que surja na região torácica e persista por muito tempo deve ser ignorado. Além disso, dores agudas precisam ser investigadas quanto antes.

Fraqueza

A fraqueza também é um sinal clássico de problemas de saúde, inclusive no coração. Dessa forma, ao notar a persistência desse sintoma por mais de alguns dias, também é fundamental consultar um médico para investigar as possíveis causas.

Quando procurar um cardiologista?

O cardiologista é o médico especializado para ajudar em problemas que afetam o funcionamento do coração. Portanto, ele deve ser consultado sempre que houver sintomas ou o diagnóstico de uma doença que afeta o sistema cardiovascular.

Inclusive, nos casos em que os sinais observados anteriormente persistam, é fundamental consultar um cardiologista o mais rápido possível. No entanto, isso não dispensa a necessidade de pessoas sem sintomas consultarem esse médico.

Quem tem algum dos fatores de risco para doenças cardíacas e, principalmente, apresenta histórico familiar, deve realizar consultas anuais com um cardiologista, a fim de que sejam solicitados os exames para avaliar o estado de saúde.

O cardiologista pode solicitar exames laboratoriais e de imagem para avaliar a saúde do sistema cardiovascular, como:

  • teste ergométrico;
  • ecocardiograma;
  • exame Holter;
  • eletrocardiograma;
  • angiografia;
  • radiografia;
  • tomografia;
  • ressonância magnética.

Já quem não tem nenhum fator de risco, nem alguém na família com problemas cardíacos, pode começar a consultar um cardiologista após os 40 anos, se for homem, ou 45, no caso das mulheres. Contudo, é importante manter as visitas anuais ao clínico geral para realizar exames de rotina.

Como se prevenir de possíveis doenças cardíacas?

Tendo em vista a gravidade das doenças cardíacas, nada melhor que evitar que esses problemas surjam, não é mesmo? Como visto, boa parte dessas condições é oriunda de práticas que prejudicam o bem-estar e a saúde.

Dessa forma, o melhor a se fazer é adotar hábitos saudáveis e que ajudam na prevenção de doenças cardíacas. A seguir, confira o que fazer!

Pratique exercícios físicos regularmente

A realização de exercícios físicos com frequência ajuda a melhorar a função cardíaca. A movimentação do corpo leva o coração a bombear mais sangue e em uma maior velocidade, o que contribui para a irrigação do órgão.

Além do mais, a prática regular de atividades físicas é fundamental para combater o sedentarismo, um problema que atinge 40% da população brasileira. Isso significa que 2 a cada 5 pessoas, no Brasil, estão em condições sedentárias.

A importância de combater o sedentarismo é que esse problema é capaz de acarretar diversas doenças crônicas. Por esse motivo, manter o corpo em movimento tem uma boa eficácia na prevenção de várias outras complicações de saúde, além das que afetam o coração.

Para se exercitar com mais regularidade, é importante encontrar atividades físicas que sejam compatíveis com os seus gostos e, até mesmo, que possam ser feitas em casa. Isso vai dar mais motivação para continuar a prática. Ainda, ao fazer uma atividade do seu interesse, a falta de tempo e de afinidade com ambientes como a academia não são mais desculpas para não se exercitar.

No entanto, sempre consulte um médico para saber se não há nenhuma restrição de exercício. Quando há alguma contraindicação, é fundamental a ajuda de um profissional capacitado para acompanhar a sua prática.

Mantenha uma alimentação equilibrada

Uma alimentação saudável é outra grande aliada de uma vida com mais bem-estar e com menos chances de ter doenças crônicas. O ideal é manter um cardápio equilibrado ao longo da rotina, contendo todos os nutrientes necessários para a manutenção do corpo e reposição de energia.

Dentre as principais vantagens de ter uma alimentação equilibrada, pode-se citar:

  • melhor controle de peso;
  • nutrição adequada;
  • melhor qualidade de sono e redução da insônia;
  • maior disposição no dia a dia;
  • redução de problemas de imunidade baixa;
  • mais saúde mental;
  • e, é claro, a prevenção de inúmeras doenças.

Para encontrar uma dieta equilibrada e de acordo com as necessidades de seu corpo, é sempre importante procurar um nutricionista. Assim, é possível receber todas as orientações adequadas. 

Controle o peso

O controle de peso é outro ponto importante para a prevenção de doenças cardíacas e de várias outras. Afinal, a obesidade é um fator de risco para o surgimento dessas complicações de saúde.

Para controlar o peso e, ainda, evitar o efeito sanfona, é fundamental manter as dicas dadas anteriormente em dia: fazer exercícios físicos com regularidade e ter uma boa alimentação.

Além disso, tente dar mais atenção para os seus hábitos. Fazer refeições com porções suficientes para a saciedade, e em horários regulares, é fundamental para evitar excessos. Prestar atenção no que você come, mastigando devagar, também é uma atitude importante para o controle de peso.

Regule o estresse

Cuidar da saúde mental faz toda a diferença na prevenção de doenças e, inclusive, no controle de peso. Isso porque, quando o humor está instável, é comum que as pessoas compensem na comida e em hábitos que não são favoráveis ao bem-estar.

Além do mais, como visto, vários problemas cardíacos estão relacionados com o estresse. Desse modo, é fundamental buscar uma rotina equilibrada, fugir de ambientes que causam desconforto, evitar situações desagradáveis e adotar práticas que ajudam no relaxamento.

A atividade física e a alimentação saudável são hábitos bons para a regulação do estresse. Contudo, é possível ter ainda mais atitudes que promovem o relaxamento, como:

Evite o consumo de cigarro e bebidas alcoólicas

O cigarro e o álcool são duas substâncias que são capazes de alterar o funcionamento do organismo e causar doenças severas, inclusive o câncer. É por isso que o seu consumo deve ser evitado.

Esses produtos também interferem no bem-estar do coração, contribuindo para o surgimento de complicações no órgão. Desse modo, quanto antes você parar de fumar e de consumir bebidas alcoólicas, melhor será para o seu organismo.

Caso você faça consumo regular dessas substâncias, é interessante encontrar opções substitutas e que sejam menos nocivas à saúde. Além disso, tente parar aos poucos, para evitar recaídas e ir condicionando o seu comportamento a aceitar ficar sem o cigarro ou o álcool.

Qual é a importância do check-up anual?

Além de todas essas dicas para prevenir as doenças cardíacas, o check-up anual é indispensável. Por meio dele, é possível avaliar como vai a sua saúde e identificar pontos que precisam de atenção rapidamente.

O check-up médico, também conhecido como exame de rotina, é um conjunto de exames que ajudam a entender o estado de seu organismo. É com esses procedimentos que se torna possível encontrar padrões que fogem do ideal e agir para corrigir o problema.

Os exames de check-up devem ser feitos anualmente e são importantes para todas as pessoas, independentemente da idade e de apresentar algum quadro patológico. Quem apresenta histórico familiar de problemas cardíacos e outras doenças graves deve ter ainda mais atenção aos procedimentos de rotina, a fim de monitorar mais de perto a saúde.

Desse modo, mantenha sempre em dia as consultas ao médico e os exames de rotina. Além disso, inclua práticas mais saudáveis para ajudar na prevenção de problemas de saúde. Assim, você garante muito mais bem-estar e qualidade de vida.

Agora você sabe quando procurar um cardiologista. Além disso, conhece as doenças cardíacas mais comuns, a importância de uma rotina saudável e a necessidade de fazer o check-up médico anual. Portanto, não deixe de colocar em prática tudo o que aprendeu.

Para isso, você pode começar com um cardápio mais nutritivo e equilibrado. Quer saber como garantir isso? Então, confira também um guia prático para ter uma alimentação mais saudável no dia a dia!

Cartão de TODOS

Redator

Olá! Como podemos ajudar?