Peça agora o seu cartão também pelo telefone: 0800 729 2071

Saúde 3 de maio de 2021

O que é colesterol, quais são os tipos e como tratar?

Você sabia que as doenças do coração são a principal causa de morte no mundo? Por aqui, o cenário é o mesmo: correspondem a 27,65% do total de óbitos por ano no Brasil. O principal vilão nessa história é o colesterol elevado, que está por trás de 51% dos infartos que ocorrem na população. Porém, […]

Você sabia que as doenças do coração são a principal causa de morte no mundo? Por aqui, o cenário é o mesmo: correspondem a 27,65% do total de óbitos por ano no Brasil. O principal vilão nessa história é o colesterol elevado, que está por trás de 51% dos infartos que ocorrem na população.

Porém, o colesterol desempenha importantes funções no nosso organismo, e não podemos viver sem ele. Existem alguns fatores de risco para o desequilíbrio dessa substância, como histórico familiar e diabetes, mas o estilo de vida é decisivo para manter as taxas sob controle.

Afinal, o que é o colesterol, quais são as diferenças entre o bom e o ruim e o que fazer para manter o coração saudável? Sobre tudo isso que vou falar neste post. Confira!

O que é colesterol e qual é a sua importância?

O colesterol é um tipo de gordura, de aparência e textura semelhantes a uma cera, fundamental para o funcionamento adequado do nosso corpo. Esse composto faz parte da estrutura de todas as nossas células, sendo encontrado no coração, no fígado, na pele, nos intestinos, nos músculos e nos neurônios.

Já deu para ter uma ideia da importância dele, não é mesmo? Nosso organismo utiliza o colesterol para produzir alguns hormônios, como estrógeno, testosterona e cortisol, além de vitamina D e ácidos biliares que atuam na digestão de gorduras.

Ele também participa na formação do sistema nervoso central, isto é, na constituição dos nossos nervos e neurônios. Percebeu como ninguém pode viver sem colesterol?

Aliás, para manter todo o sistema funcionando, cerca de 70% do colesterol é produzido pelo próprio organismo, enquanto apenas 30% tem origem na dieta. Porém, quando consumimos com frequência grandes quantidades de alimentos gordurosos, o fígado produz mais colesterol do que o normal.

Quais são as diferenças entre colesterol ruim e bom?

Imagino que você já tenha ouvido falar do “bom colesterol” e do “mau colesterol”, certo? Na verdade, a substância é a mesma, ou seja, só existe um tipo de colesterol. A diferença entre eles está no modo como o nosso sangue os transporta e no destino que têm.

O colesterol que está contido nas Lipoproteínas de Baixa Densidade é conhecido como LDL. Esse tipo é produzido pelo fígado e é transportado pelo sangue a todas as nossas células, onde será utilizado. É chamado de colesterol ruim, pois, em excesso na circulação, pode se acumular nas artérias e formar placas que aumentam o risco de aterosclerose, processo que pode levar a um derrame ou um infarto.

Já o HDL é o colesterol presente nas Lipoproteínas de Alta Densidade, que retiram o excesso de colesterol das artérias e o levam de volta para o fígado, onde será metabolizado e excretado pelas fezes. Então, esse é o conhecido colesterol bom, pois impede que as placas de gordura se acumulem nas artérias, evitando o seu entupimento.

Quais são os sinais de que o meu colesterol está desregulado?

O colesterol desregulado é uma condição silenciosa. Isso significa que, estando alto ou baixo, não provoca sintomas, e a única forma de saber como estão os níveis de colesterol é fazendo um exame de sangue.

No entanto, quando os níveis estão extremamente elevados, alguns sinais clínicos podem aparecer:

  • arco córneo — halo esbranquiçado que surge nos olhos de pessoas com menos de 45 anos;
  • xantelasmas — pontos amarelos de gordura ao redor dos olhos;
  • xantomas — acúmulos de gordura amarelada nos tendões ou nas articulações.

Quando há sintomas de dor no peito, falta de ar e palpitações, é indício de que a aterosclerose está avançada, podendo estar associada à angina ou a um infarto. Porém, os cuidados com a saúde não podem apenas mirar as altas taxas de colesterol, já que níveis muito baixos também são perigosos.

Quando isso acontece, os principais problemas estão associados à maior chance de desenvolver câncer, doenças degenerativas e transtornos psicológicos, além da inibição da produção de alguns hormônios e da ocorrência de distúrbios sexuais.

Como manter-se saudável, principalmente em relação ao colesterol? 

Como expliquei no início do post, há vários motivos que levam à alteração dos níveis de colesterol no nosso organismo, mas um dos principais está ligado ao consumo excessivo de gorduras trans e gorduras saturadas. Elas são encontradas em alimentos de origem animal e em produtos ultraprocessados, como comidas congeladas, margarina, sorvete, biscoitos, salgadinhos de pacote e bolos prontos.

Para manter o colesterol sob controle, é preciso prestar atenção ao estilo de vida que você leva. Separei algumas dicas, veja só.

Mantenha uma dieta balanceada e saudável

É essencial investir em receitas para manter o colesterol, já que 30% do composto que circula no corpo vem da alimentação. Então:

  • consuma mais frutas, verduras e legumes;
  • dê preferência a peixes em vez de carnes vermelhas;
  • reduza a ingestão de produtos de origem animal e açúcares;
  • escolha grãos integrais e gorduras saudáveis (como óleo de oliva e canola, castanhas e nozes);
  • evite frituras e produtos industrializados.

Além de ter uma alimentação mais natural, de quebra você ainda terá mais facilidade para manter o peso!

Pratique exercícios físicos regularmente

A prática de atividades físicas está relacionada com o aumento do colesterol bom, por isso, não fuja delas. Você não precisa se transformar em ícone fitness da noite para o dia, basta manter uma constância de 30 a 60 minutos de exercícios por dia.

Uma caminhada que acelere o ritmo cardíaco é suficiente. Se estiver sem praticar nada, comece aos poucos, alternando os dias da semana.

Beba com moderação e não fume

O tabagismo está associado ao risco de doenças cardíacas, pois as substâncias inaladas danificam os vasos sanguíneos e aceleram o acúmulo de placas de gordura nas artérias, o que pode causar derrame ou infarto.

As bebidas alcoólicas devem ser consumidas com moderação, pois prejudicam o fígado, órgão responsável por produzir e metabolizar o colesterol.

Estimule a sua espiritualidade

Surpreendeu-se com esta dica? Mas estimular a espiritualidade é o que recomenda o médico e cientista Álvaro Avezum, diretor da SOCESP (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo). De acordo com o especialista, ações e pensamentos atuam na prevenção e na cura das doenças do coração.

Reações como ingratidão, intolerância, ruminação e ressentimento alteram a produção de hormônios como cortisol e adrenalina, elevam a atividade inflamatória (a aterosclerose começa com uma inflamação) e aumentam a coagulação no sangue dentro das artérias. Tudo isso pode levar ao infarto e ao AVC, além de câncer e doenças autoimunes.

O médico afirma que existem evidências de que enfrentar as adversidades da vida de forma mais positiva, usar sentimentos construtivos nos relacionamentos, perdoar, exercitar a gratidão e ter mais atitudes solidárias evitam os males do coração e, também, melhoram a doença caso ela já exista.

Bacana, não é mesmo? Então, agora que você já sabe a importância do colesterol, lembre-se de que o estilo de vida é uma das principais formas de mantê-lo sob controle. Além disso, consulte seu médico com periodicidade para verificar como estão as suas taxas, ok?

Aliás, você sabe quando é hora de buscar auxílio de um profissional? Saiba agora quais são as causas das dores no peito e quando buscar ajuda médica!

Cartão de TODOS

Redator

Olá! Como podemos ajudar?