Peça agora o seu cartão também pelo telefone: 0800 729 2071

Educação financeira 28 de abril de 2021

Educação financeira: saiba o que é e como colocar em prática

Educação financeira é um dos princípios mais importantes para construir uma rotina confortável, conviver bem em família e garantir a economia familiar. Aprender como funciona e como administrar o próprio dinheiro abre portas para um futuro seguro e evita diversos problemas, por exemplo, as dívidas. No Brasil, infelizmente, não existem aulas de educação financeira nas […]

Educação financeira é um dos princípios mais importantes para construir uma rotina confortável, conviver bem em família e garantir a economia familiar. Aprender como funciona e como administrar o próprio dinheiro abre portas para um futuro seguro e evita diversos problemas, por exemplo, as dívidas.

No Brasil, infelizmente, não existem aulas de educação financeira nas escolas. Por conta disso, é preciso aprender, na prática, como manejar o seu dinheiro na vida adulta, considerando as necessidades básicas e supérfluas de toda a sua família.

A seguir, mostrarei como fazer uma boa organização financeira e aproveitar as vantagens que ela traz. Acompanhe!

Saiba o que é educação financeira

Saber como fazer um planejamento financeiro, anotando as despesas e receitas e mantendo as finanças em ordem é importante, porém, a educação financeira vai um pouco além de apenas manter uma boa organização dessa área de sua vida.

Na verdade, educação financeira diz mais sobre entender como o dinheiro traz impactos não apenas na sua vida, mas em toda a sociedade. Ela está relacionada com a compreensão de que existe uma troca complexa entre a aquisição de produtos/serviços e moeda.

A partir desse aprendizado, é possível aplicar o conceito de forma individual, para, assim, organizar as finanças pessoais e familiares. Entender o que é educação financeira também ajuda a planejar o futuro para ter mais segurança e estabilidade.

Entenda a importância de ter uma educação financeira familiar

Pense em como foram os últimos 12 meses: houve alguma vez em que desejos ou necessidades não foram supridos por falta de dinheiro? A maioria das pessoas sofre desse problema e, muitas delas, ainda não conseguem ter o suficiente para suprir as demandas básicas para a saúde e o bem-estar de toda a família.

A educação financeira é um dos pilares fundamentais para a solução desse problema. Ela ajuda a fazer um controle monetário, entender mais as relações estabelecidas nas compras e vendas, além de trazer a compreensão de que as oportunidades são diferentes para cada pessoa, o que dificulta o acesso integral aos serviços básicos da sociedade.

Na prática, isso faz com que você consiga administrar o que ganha e gasta, evitar exageros, aprender a poupar uma quantia e planejar melhor o futuro. Tudo isso é essencial para garantir o conforto familiar.

Confira os 5 passos para adotar uma educação financeira na rotina da família

Certo, educação financeira é importante, mas como fazer isso no dia a dia? Primeiramente, vale ressaltar que, em uma família, é fundamental que todos os membros estejam engajados para aprender mais sobre planejamento financeiro e organização das finanças.

Assim, é possível evitar conflitos e conviver bem com a família, diminuir gastos exacerbados e desnecessários, fazer sua compra do mês render mais e quitar todas as dívidas que tenham sobrado, mantendo o nome limpo.

A seguir, veja os primeiros passos que você e a sua família precisam tomar para adotar a educação financeira no dia a dia.

1. Crie um orçamento mensal de gastos

Tudo começa com o planejamento. Ao definir um orçamento mensal de custos, você evita gastar mais do que consome e não conseguir arcar com as despesas. Para isso, é preciso analisar os hábitos da família e entender quanto custa para que todos passem o mês de forma saudável e tranquila, desde que dentro do planejamento.

Algumas atitudes que ajudam nesse momento é conferir o consumo das contas de água e luz, fazer uma lista de compras de mercado e de demais áreas, além de checar a necessidade de conseguir um dinheiro extra, caso a renda não esteja suficiente.

2. Avalie o consumo de itens/serviços supérfluos

Vale a pena, também, identificar em quais fatores o dinheiro está sendo desperdiçado e o porquê. Itens supérfluos, muitas vezes, adquirem uma grande representatividade no gasto mensal de uma família, trazendo prejuízos ao planejamento financeiro.

Desse modo, uma sugestão é anotar todos os gastos em um caderno ou uma planilha de fácil visualização e buscar dicas para não errar nas compras. É preciso que as pessoas envolvidas na organização financeira consigam entender o panorama da renda familiar e identificar em quais pontos estão se excedendo.

Isso não significa que todos os itens de consumo ou serviços supérfluos devam ser cortados. O necessário é apenas equilibrar esses gastos para que seja possível seguir com o plano financeiro estabelecido.

3. Tenha uma reserva para imprevistos

Anote essa dica, pois ela é uma das que mais salvará você de problemas futuros: sempre guarde uma quantia para os próximos meses. Uma reserva financeira garante que a sua família não passe aperto caso a renda mensal fique comprometida ou gastos inesperados surjam.

Além disso, a reserva financeira não é apenas o “dinheiro que sobra”. O ideal é colocá-la em seu planejamento como se fosse uma dívida, aumentando o comprometimento com essas questões menos urgentes no momento, mas que podem se tornar preocupações futuramente.

4. Mude os hábitos

Se a sua família tem hábitos que comprometem a educação financeira, então, é só mudá-los. Eu sei que o ato não é tão simples, ao mesmo tempo que, não deva ser tão difícil.

Por exemplo, se você pede delivery frequentemente, tente reduzir esses pedidos para apenas um dia na semana ou a cada 15 dias. Dessa forma, é possível valorizar mais um prato diferente, juntar dinheiro para um objetivo e fazer com que a rotina fique saudável.

5. Estabeleça metas

Dificilmente, uma família consegue poupar só por poupar. No entanto, quando o assunto vira guardar uma quantia para viajar ou abrir um negócio, por exemplo, a determinação aumenta, pois é possível visualizar onde quer chegar. Desse modo, é importante definir metas de como usar o dinheiro para melhorar a organização financeira.

Como visto, a educação financeira, apesar de não ser intuitiva para a maioria dos brasileiros, ajuda a ter uma relação mais saudável com o dinheiro e a aproveitar melhor a renda mensal familiar.

Falando nisso, não é apenas a educação financeira que é um bom investimento para o futuro. Confira 50 cursos profissionalizantes gratuitos e on-line para fazer durante a quarentena e veja como o conhecimento ajudará você a alcançar seus objetivos!

Cartão de TODOS

Redator

Cartão de TODOS e os cookies: a gente usa cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Olá! Como podemos ajudar?