Peça agora o seu cartão também pelo telefone: 0800 729 2071

Sem categoria 11 de agosto de 2021

9 coisas que você precisa saber sobre o hipertireoidismo

Você já ouviu falar em problemas na tireoide? Esse é um órgão muito sensível e importante que fica na região do pescoço e ajuda a regular as funções de vários outros sistemas do corpo. Geralmente, quando a tiroide não vai bem, é comum surgirem problemas como o hipotireoidismo e o hipertireoidismo. Como visto, a tireoide […]

Você já ouviu falar em problemas na tireoide? Esse é um órgão muito sensível e importante que fica na região do pescoço e ajuda a regular as funções de vários outros sistemas do corpo. Geralmente, quando a tiroide não vai bem, é comum surgirem problemas como o hipotireoidismo e o hipertireoidismo.

Como visto, a tireoide ajuda a regular outros órgãos porque ela produz algumas substâncias fundamentais para o corpo. Quando essa produção está baixa, surge o hipotireoidismo, já quando está alta, a condição que aparece é o hipertireoidismo.

E é sobre este último problema que vou falar neste post. Quer entender melhor o hipertireoidismo? Então, continue lendo e conheça 9 elementos que você precisa saber sobre a condição!

1. O que é a tireoide

Para começar a explicar o que é o hipertireoidismo, é importante falar sobre o que é a tireoide. Na verdade, trata-se de uma das principais glândulas do corpo. Desse modo, a sua principal responsabilidade é a secreção de algumas substâncias.

No corpo, ela tem um formato parecido com o de uma borboleta e fica localizada no pescoço, bem atrás do Pomo de Adão. A tireoide, especificamente, tem a função de produzir hormônios, como o T3 e o T4, que passam por todo o organismo por meio da corrente sanguínea.

Essas substâncias fazem parte de processos fundamentais para o organismo, como o metabolismo, desenvolvimento de células, funcionamento do coração e dos rins, assim como do ciclo menstrual.

É por isso que a saúde da tireoide é tão importante para o bem-estar de todas as pessoas. Caso haja alguma mudança no seu funcionamento, podem surgir alterações no peso, na disposição, no humor, na cognição e em várias outras funções do corpo, desequilibrando o organismo.

Além disso, a tireoide é ainda mais importante para a saúde da mulher. Como ela interfere no ciclo menstrual, a falta de harmonia do seu funcionamento pode levar a problemas na menstruação, ovulação e fertilidade. 

2. O que é hipertireoidismo

Viu só como a tireoide é importante para o corpo de uma pessoa? Sabendo disso, já é possível começar a entender como ela pode afetar toda a vida de um indivíduo quando não está funcionando adequadamente, não é mesmo?

Sendo assim, o hipertireoidismo é o nome que se dá quando a tireoide está produzindo substância em excesso. Tendo em vista que ela participa de vários processos do organismo, o que acontece quando há esse excesso de secreção?

É simples! Se a tireoide participa, principalmente, do processo de metabolismo, cuja principal função é promover energia e garantir que o corpo receba tudo o que precisa, todas as reações internas ficam mais aceleradas.

Assim, o coração bate mais rápido, o intestino acaba se acelerando também, o indivíduo sente o seu corpo funcionando em uma velocidade bem maior e o peso é alterado, pois o organismo gasta ainda mais calorias, promovendo o emagrecimento.

Não pense que isso é bom! Como tudo está mais acelerado e a pessoa tem mais energia, problemas de sono, como a insônia, também surgem. Além disso, transtornos psicológicos, como a ansiedade, podem aparecer devido à intensidade dos pensamentos e da sensação de acúmulo de energia.

A seguir, entenda, com mais detalhes, o que provoca o hipertireoidismo e como é possível identificá-lo!

Causas

Quer entender o que faz com que a tireoide produza em excesso? Existem várias condições que podem provocar o hipertireoidismo. Uma das principais está relacionada a uma doença autoimune, conhecida como Doença de Graves. Nela, o organismo passa a fazer mais anticorpos que atacam o próprio corpo e podem afetar o funcionamento dessa glândula.

Outra causa comum do hipertireoidismo é a presença de nódulos na tireoide. Nesse caso, além de aumentar a produção de hormônios, o volume da glândula cresce, o que pode ser associado também a fatores genéticos e hereditários. No entanto, essa condição é mais comum em pessoas acima de 50 anos.

O uso de determinados medicamentos também pode provocar o hipertireoidismo. Indivíduos que precisam de tratamento hormonal, quando recebem doses muito altas dos hormônios da tireoide, podem desenvolver esse problema. Remédios com altos níveis de iodo também podem acarretar essa condição.

Outro fator que é capaz de provocar o hipertireoidismo são os primeiros meses de puerpério. Após o parto, é comum haver desregulações hormonais que levam a esse quadro.

Além disso, é possível desenvolver hipertireoidismo por meio de uma inflamação na glândula, conhecida como tireoidite. Nesse caso, a pessoa pode sentir dor, como nos quadros subagudos, ou não notar essa inflamação, como nos casos silenciosos.

Diagnóstico

Na maior parte dos casos, é possível notar um aumento no volume da tireoide. Inclusive, você sabia que dá para fazer o autoexame? Embora ele não sirva para diagnosticar um quadro, pois é preciso realizar outros exames para obter a confirmação, ajuda muito a identificar os primeiros sinais de nódulos na região.

Para fazer o autoexame, fique em frente a um espelho, incline levemente a cabeça para trás e tome um gole de água. Enquanto você engole, é possível notar uma movimentação na região do pescoço. Quando surgem formatos irregulares, como caroços, debaixo do Pomo de Adão, é um indício de que podem haver nódulos na tireoide.

No entanto, ainda é possível haver problemas na glândula, mesmo sem a presença de nódulos. Além disso, mesmo que haja um aumento do volume da tireoide, isso não garante que seja hipertireoidismo, pois os quadros de hipotireoidismo também costumam apresentar essa característica.

É por isso que é fundamental realizar exames de rotina. O hipertireoidismo pode ser diagnosticado por meio de exames de sangue. Se for detectado que os níveis de T3 e T4 estão acima da média para o gênero e a idade da pessoa, enquanto o hormônio TSH está menor, é possível identificar esse distúrbio.

Alguns médicos podem pedir exames adicionais, como o de captação de iodo radioativo. A tireoide, para produzir os hormônios, utiliza o iodo. Desse modo, se ela absorve demais a substância, é um indício de que a glândula está trabalhando excessivamente.

Além disso, existem exames de imagem que ajudam a observar o formato da tireoide e a notar se existem nódulos na região. Todos esses procedimentos contribuem para um diagnóstico mais preciso e, consequentemente, para encontrar o tratamento mais eficaz.

3. A diferença entre hipertireoidismo e hipotireoidismo

Como visto, a tireoide, quando apresenta problemas em seu funcionamento, é capaz de produzir mais ou menos hormônios, e é isso que traz as principais diferenças entre o hipertireoidismo e o hipotireoidismo.

Desse modo, é possível dizer que ambas são condições totalmente diferentes. Apesar de apresentarem alguns sinais parecidos, como a elevação do volume da tireoide, a irregularidade menstrual e os impactos na produtividade de uma pessoa, as diferenças são notáveis entre os dois transtornos.

Enquanto o hipertireoidismo provoca um aumento da ansiedade, dos batimentos do coração e da velocidade do metabolismo, o hipotireoidismo traz problemas como a depressão, intestino preso, redução da frequência cardíaca, queda de cabelo e problemas na pele.

Isso porque no hipotireoidismo é notável a diminuição da produção dos hormônios da tireoide, o que faz com que o metabolismo se torne mais lento. Por esse motivo, é comum também notar um aumento do peso e do colesterol no sangue. Ambas as condições são diagnosticadas por meio de exames médicos que verificam a tireoide e os níveis hormonais.

4. Os principais sintomas do hipertireoidismo

Uma das primeiras perguntas que as pessoas fazem ao conhecer uma nova doença é em relação aos sintomas que ela provoca. Felizmente, o hipertireoidismo apresenta diversos sinais que facilitam a identificação do problema e ajudam na investigação. A seguir, confira quais são eles!

Aumento da transpiração

Diversos sistemas do corpo funcionam de maneira acelerada na presença do hipertireoidismo, inclusive os batimentos cardíacos. Desse modo, é comum que o paciente transpire mais ao longo do dia, assim como pode sentir mais calor. Esses sintomas, no entanto, podem ser confundidos com a menopausa nas mulheres acima de 45 anos.

Tremores

Sentir as mãos trêmulas sem nenhuma razão também faz parte dos casos de hipertireoidismo. Afinal, a aceleração do metabolismo e dos batimentos cardíacos podem facilmente provocar essa situação.

Perda de peso

O emagrecimento é um dos sintomas mais comuns de serem associados ao hipertireoidismo, enquanto o hipotireoidismo promove um ganho de peso. Isso se deve ao fato de a tireoide afetar diretamente o funcionamento do metabolismo, o que interfere na queima de calorias e na regulação do intestino.

Irritabilidade

Pessoas com hipertireoidismo também apresentam alterações no humor, com o surgimento de irritabilidade e aumento do estresse. Em alguns casos, isso contribui também para o desenvolvimento de quadros de ansiedade. 

Irregularidade menstrual

A menstruação também fica desregulada quando há sintomas de hipertireoidismo. Afinal, os hormônios produzidos pela tireoide têm relação íntima com o ciclo menstrual. Em alguns casos, essa condição pode levar também à infertilidade.

Diarreia

O intestino também trabalha mais rapidamente quando uma pessoa apresenta hipertireoidismo, fazendo com que ela vá mais vezes ao banheiro. No entanto, em alguns casos, o metabolismo acelerado faz com que o bolo fecal não consiga se formar por completo, provocando a diarreia.

Cansaço

Por mais que haja um aumento da energia, a reação no corpo e na mente do indivíduo é contrária. A sensação de cansaço, principalmente devido às noites mal dormidas, é encontrada na maioria dos casos e interfere muito no dia a dia das pessoas.

5. A relação do hipertireoidismo com o metabolismo

Como você viu até agora, a tireoide tem uma forte relação com o metabolismo. Desse modo, quando ela trabalha demais, o corpo também sofre diversas reações, principalmente de aceleração dos processos fisiológicos.

Contudo, para entender como o hipertireoidismo afeta o metabolismo, é preciso, primeiramente, compreender qual é a sua função no corpo. As reações metabólicas nada mais são que a degradação dos alimentos e síntese das substâncias produzidas no organismo. Desse modo, é possível aproveitar os nutrientes necessários e descartar aqueles que não têm utilidade no momento.

Portanto, o metabolismo se envolve na aquisição de energia para as atividades diárias, na respiração, na produção de células, no funcionamento do sistema nervoso e em várias outras funções fundamentais do corpo. Isso faz com que ele se relacione com os mais diversos órgãos.

Dessa maneira, quando o hipertireoidismo afeta o metabolismo, o que ocorre é o aumento da velocidade das reações. A forma como o corpo administra a energia presente acaba se alterando, de modo que os sintomas citados anteriormente passam a aparecer.

6. Os hábitos que podem piorar o quadro de hipertireoidismo

Você sabia que os hábitos adotados na rotina têm uma forte relação com a sua saúde e o seu bem-estar? Por mais inofensivas que algumas atitudes pareçam, elas são capazes de causar várias reações adversas no organismo e provocar o surgimento ou o agravamento de doenças.

No caso do hipertireoidismo, hábitos que influenciam na absorção do iodo e na regulação dos hormônios podem piorar o quadro. Inclusive, existem várias práticas que não parecem ter esse efeito, mas acabam intensificando os sintomas e interferindo no seu bem-estar, sem que você perceba.

Sendo assim, para que você saiba o que é preciso evitar no dia a dia para manter a preocupação com a saúde, confira alguns hábitos que podem piorar o quadro de hipertireoidismo!

Alimentação desregulada

Alguns alimentos ajudam a agravar o quadro de hipertireoidismo. Produtos chamados de goitrogênicos dificultam a absorção do iodo no corpo, o que interfere no funcionamento da tireoide.

Por conta disso, é importante evitar o consumo de alimentos como a couve, brócolis, soja e nabos, principalmente nas receitas em que eles vão crus. Além do mais, manter uma alimentação saudável vai ajudar em vários outros componentes da saúde.

É importante também observar a qualidade da água ingerida no dia a dia. Faz parte do tratamento hídrico a adição de cloro, a fim de eliminar impurezas. Apesar de ajudar a oferecer uma água limpa para a sociedade, quando essa substância está presente em excesso, pode provocar problemas de saúde. Um deles é a dificuldade de absorção do iodo, o que interfere no funcionamento da tireoide.

Desse modo, dê preferência para produtos in natura, ou seja, alimentos frescos e não processados, incluindo mais vegetais no prato e evitando o consumo em excesso de sódio e açúcares. Além disso, beba sempre água filtrada e nunca faça dietas sem a devida orientação de um nutricionista.

Automedicação

Tomar medicamentos por conta própria é outro problema que prejudica ainda mais o quadro de hipertireoidismo. Afinal, você pode estar colocando substâncias que provocam um aumento da produção de hormônios pela tireoide, como o iodo, sem saber.

Desse modo, lembre-se de consultar um médico sempre que notar algum problema, antes de fazer o uso de um medicamento. Isso também é válido para o consumo de vitaminas e suplementos alimentares.

Tabagismo

O hábito de fumar também prejudica o funcionamento da tireoide, podendo intensificar os sintomas dos quadros de hipertiroidismo. As substâncias presentes no cigarro podem trazer diversas inflamações para vários órgãos do corpo, além de aumentarem as chances do desenvolvimento de câncer.

7. Os hábitos que podem oferecer uma melhora no quadro

Em contrapartida, algumas atitudes tomadas no dia a dia podem oferecer uma melhora no quadro de hipertireoidismo. Quer saber quais são elas? Veja mais, a seguir!

Alimentação balanceada

Como visto, a alimentação tem uma forte influência no corpo e no funcionamento da tireoide. Desse modo, ao apostar nos itens certos e evitar os produtos que podem ser prejudiciais para a saúde, você acaba melhorando o autocuidado e preservando o bem-estar.

Alimentos integrais, com ômega 3 e gorduras saudáveis vão ajudar a atenuar os sintomas do hipertireoidismo e a manter a saúde em dia. Frutas cítricas, carnes brancas e legumes ricos em antioxidantes e vitamina C são ótimos para incluir no cardápio.

Além disso, é importante dispensar o consumo de bebidas alcoólicas, mesmo que seja apenas de vez em quando. Afinal, o álcool é outra substância que inflama as células do corpo e traz prejuízos a diversos órgãos. A ingestão de cafeína também precisa ser reduzida ou, até mesmo, cortada, para evitar ainda mais o aceleramento dos batimentos cardíacos e a insônia.

Prática regular de exercícios físicos

O hipertireoidismo faz com que uma pessoa tenha muita energia acumulada e isso interfere na sua atenção no dia a dia, memorização, concentração e qualidade do sono. Quer saber uma maneira de minimizar esses efeitos? Praticando exercícios físicos.

A prática regular de atividade física ajuda a gastar essa energia em excesso e a garantir um sono mais profundo durante a noite. Além disso, é muito útil para a saúde mental, trazendo melhorias para o humor e os quadros de transtorno de ansiedade.

Isso sem mencionar que realizar atividades físicas no dia a dia contribui muito para manter a saúde do sistema cardiovascular e nervoso, aumentar a densidade óssea, evitar o efeito sanfona e regular diversas outras funções do organismo.

Consultas regulares ao médico

Ir ao médico com uma certa regularidade também é essencial para controlar os sintomas do hipertireoidismo. Por meio das consultas e dos exames, é possível regular as doses das medicações e encontrar o tratamento mais adequado para cada pessoa, melhorando a qualidade de vida e o bem-estar no dia a dia.

8. A importância do acompanhamento médico

Se você chegou até aqui com dúvida da importância do acompanhamento médico, não vai ter mais. A presença de um profissional da Medicina especializado em Endocrinologia é fundamental para o tratamento dos casos de hipertireoidismo.

É por meio das consultas regulares ao médico que é possível investigar os sintomas do hipertireoidismo, fazer os exames corretos, ter um diagnóstico preciso e identificar o tratamento mais adequado para cada caso.

Além disso, com o acompanhamento médico, o paciente recebe toda a orientação necessária e aprende a lidar com a condição no dia a dia, adotando os hábitos que ajudam a melhorar os sintomas e evitando as práticas que podem piorar o quadro.

Com a ajuda de um profissional especializado, o indivíduo com o hipertireoidismo também tem mais chances de fazer a manutenção adequada do tratamento, de acordo com o quadro que apresenta. Assim, é possível ter mais qualidade de vida e bem-estar, evitando as complicações para a saúde que os problemas na tireoide podem trazer.

9. O tratamento do hipertireoidismo

Sabendo disso, é fundamental ressaltar também a importância do tratamento para o hipertireoidismo. Até o momento, não se sabe a cura para a condição. Contudo, com as práticas corretas, é possível controlar os sintomas e fazer com que eles não interfiram mais na vida do paciente.

A seguir, confira os principais tratamentos disponíveis para os casos de hipertireoidismo!

Medicamentos

Na maior parte dos casos, o médico faz a prescrição de medicamentos antitireoidianos. Eles são fundamentais para controlar a produção hormonal da tireoide, fazendo com que os níveis de T3 e T4 fiquem novamente de acordo com os padrões ideais.

Dentro dessa classe de medicamentos existem diversas opções, e o médico e o paciente vão encontrar aquelas que oferecem menores efeitos secundários e ajudam a devolver o bem-estar do indivíduo.

Em alguns casos, pode ser necessária a associação de dois ou mais medicamentos, para garantir um efeito mais seguro e eficiente do controle do hipertireoidismo. Assim, é possível reduzir os sintomas graves, como o aumento da frequência cardíaca e da ansiedade.

Por esse motivo, é importante manter as consultas periódicas ao médico, para ter um bom acompanhamento do quadro. Além disso, é fundamental relatar qualquer reação ao medicamento, a fim de que o profissional possa encontrar as melhores soluções.

Iodo radioativo

Esse tratamento leva à degradação da tireoide, de modo que o problema tenha um fim permanente. No entanto, sem o funcionamento da glândula, é necessário fazer o uso de medicamentos e hormônios para substituir as suas funções e manter o bom funcionamento do organismo.

Cirurgia

Existem alguns casos em que o uso de medicamentos e de outras terapias não é adequado para o paciente, devido à sua condição de saúde e a outras doenças que pode apresentar. Assim, é indicada a cirurgia de remoção da tireoide.

Essa é uma solução permanente para os problemas de hipertireoidismo, mas não é a mais comum. Afinal, a remoção da glândula pode trazer outros riscos à saúde e requer um acompanhamento médico ainda maior.

Quando é necessária a intervenção cirúrgica, também é preciso realizar mais alguns tratamentos para repor as funções da tireoide e manter o organismo em pleno funcionamento, mesmo sem a presença da glândula.

Agora que você sabe o que é hipertireoidismo, conseguiu perceber a importância de contar com o suporte médico para controlar o quadro e diminuir os sintomas? O auxílio de profissionais especializados é indispensável para garantir mais bem-estar na rotina.

O melhor de tudo é que é possível agendar consultas com desconto aproveitando o Cartão de TODOS. Assim, os cuidados com a saúde são mantidos de forma mais acessível a todos.

Não perca tempo e comece a cuidar melhor da saúde de toda a sua família. Peça já o Cartão de TODOS e aproveite todos os benefícios!

Cartão de TODOS

Redator

Olá! Como podemos ajudar?