Medicina 19 de out, 2021

A importância da medicina preventiva para a descoberta de doenças silenciosas

Sentir-se bem física e mentalmente é um bom indicativo de que a saúde está em dia. Isso não quer dizer, no entanto, que você deva ignorar os cuidados preventivos recomendados pelos médicos. A finalidade é fortalecer o sistema imune e reagir de forma rápida a possíveis doenças silenciosas.

Elas são chamadas assim porque, na maioria dos casos, não costumam apresentar sintomas em seus estágios iniciais. Logo, é normal que a pessoa acometida siga sua rotina tranquilamente, sem procurar ajuda especializada por meses ou até anos. A percepção tardia da enfermidade pode tornar o tratamento mais difícil e custoso, sem contar que a chance de o paciente enfrentar uma condição grave aumenta por conta do longo período sem diagnóstico. Esse avanço do quadro, muitas vezes, reduz a possibilidade de cura. Mas não há motivo para preocupações constantes. Com boas informações sobre saúde e o potencial da medicina preventiva, é possível ter uma proteção eficaz contra diferentes patologias. Continue a leitura e veja como funciona!

O papel da medicina preventiva

Antes de tudo, é importante ter em mente que o conceito de saúde não se limita a um estado de ausência de doença. Ser uma pessoa saudável é ter as condições básicas para desfrutar de bem-estar físico, mental e emocional — ou seja, tudo o que nos ajuda a viver de forma plena e satisfatória. Nesse sentido, o universo da medicina preventiva ganha destaque por trabalhar com antecedência na missão de evitar os perigos trazidos por uma enfermidade. Seu foco é avaliar pessoas com frequência para identificar possíveis problemas com agilidade, de preferência, logo que eles surgem. Fica fácil entender, portanto, seu papel crucial no rastreamento e diagnóstico de doenças silenciosas. Com a medicina preventiva, os profissionais conseguem descobrir alterações antes que o corpo emita algum sinal físico. Dessa forma, podem orientar o paciente e encaminhá-lo ao tratamento correto.

As principais doenças silenciosas

Existem muitas enfermidades que, por conta da ausência de sintomas, merecem atenção redobrada. Que tal conhecer algumas das mais recorrentes enquanto você não agenda o próximo check-up médico?

Diabetes tipo 2

Essa condição demora a mostrar sinais de que algo não vai bem. Ela tem origem na baixa produção de insulina ou na intolerância das células do corpo a essa substância. Quando há sintomas, eles tendem a ser moderados e confundidos com outras patologias. O paciente pode perceber, por exemplo, muita vontade de urinar, sede excessiva e variações de peso. Assim, é comum que associe essas características a outras causas e situações. A Diabetes tipo 2 deve ser diagnosticada cedo para que não prejudique o funcionamento dos rins. Em casos mais graves, pode levar à perda de visão e à necrose de tecidos.

Hipertensão

Uma pessoa passa a ser considerada hipertensa quando sua pressão arterial ultrapassa a medida de 14 por 9. Esse estado faz com que o coração se esforce muito para distribuir o sangue corretamente. Como resultado, o excesso de trabalho pode favorecer a ocorrência de derrames, infartos e aneurismas. É uma das doenças silenciosas por não ser fácil de perceber por conta própria. Tabagismo, obesidade, herança genética e estresse estão entre os principais fatores de risco. Quem apresenta algum deles deve ter cuidado redobrado e verificar os riscos por meio de exames.

Disfunção na tireoide

Tanto o hipertireoidismo quanto o hipotireoidismo podem aparecer de forma silenciosa. O primeiro ocorre quando a glândula tireoide tem alta produção de hormônios e tende a ficar inchada. Os sinais mais comuns aparecem depois de um tempo e incluem sudorese, taquicardia e perda de peso. O segundo quadro acontece quando há baixa produção hormonal, uma condição que desacelera o metabolismo. Como resultado, a pessoa fica mais propensa a ganhar peso e ter dores musculares, mas ambos sinais nem sempre recebem atenção.

Anemia

É uma das doenças silenciosas mais comuns por envolver sintomas típicos de outras condições, algumas consideradas inofensivas. Ela ocorre quando o corpo está com deficiência de ferro, o que reduz a produção de glóbulos vermelhos. O primeiro efeito colateral é a dificuldade para o organismo distribuir o oxigênio de forma correta, o que resulta em vários sintomas. Os sintomas são confusos para muitas pessoas e incluem fraqueza, falta de ar, cansaço extremo e palidez. Mulheres podem ter redução de fluxo no período menstrual.

Osteoporose

Ela acomete muitas pessoas após os 30 anos, já que resulta da perda de densidade óssea. Esse processo é lento e se acentua com o passar do tempo, o que explica a maior incidência entre os idosos. Em geral, as pessoas percebem algo estranho somente quando sofrem um acidente com fratura. Nessas situações, é possível perceber dores e dificuldade para se movimentar. A recuperação fica mais lenta por conta da capacidade reduzida de regeneração dos ossos em diversas partes do corpo.

A importância do diagnóstico precoce

As práticas da medicina preventiva têm por finalidade reduzir a taxa de mortalidade e de morbidade em qualquer população. Para isso, é necessário combinar ações de conscientização à aplicação de exames e realização de análises clínicas. O trabalho de conscientização serve para reforçar a importância dos bons hábitos relacionados ao sono, à alimentação e à prática de exercícios. Também inclui orientações com foco na mudança de atos que são nocivos ao corpo e à mente, a exemplo dos vícios e outras condições crônicas. O objetivo é investir no aumento da qualidade de vida para evitar o desenvolvimento de doenças. E como não é possível eliminar os riscos por completo, outro passo se torna relevante na prevenção dos perigos que acompanham as diversas enfermidades: o diagnóstico precoce. Trata-se de um trabalho exercido por clínicos gerais e médicos de família, com a missão de checar a saúde geral de seus pacientes. Para que essa prática tenha resultados, é fundamental que as pessoas façam consultas regulares e sigam as recomendações dos profissionais. No atendimento, o médico vai obter informações por meio de conversa e análise clínica. Também pode realizar exames preventivos de acordo com as necessidades de cada grupo. Essas abordagens, quando aplicadas com frequência, permitem a identificação precoce de doenças. Descobrir a enfermidade quanto antes é valioso para o paciente e os sistemas de saúde. Afinal, minimiza as complicações e aumenta as chances de cura. Essa resposta mais eficaz ao tratamento, por sua vez, gera economia com remédios, internações hospitalares e procedimentos complexos. Como pôde ver, a medicina preventiva é a principal aliada no combate aos efeitos das doenças silenciosas e na construção de uma sociedade mais saudável. Não deixe de praticá-la fazendo suas consultas no tempo certo e conversando com seu médico sempre que sentir necessidade. Quer mais conteúdos sobre saúde e bem-estar? Assine a nossa newsletter para receber publicações por e-mail!

Cartão de TODOS

Redator

Cartão de TODOS e os cookies: a gente usa cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Olá! Como podemos ajudar?